WEB News

Versão digital do Jornal Impresso INTECH News

Junho, Julho, Agosto/ 2012 / Ano2 / Número 7

INTERNACIONAL

África do Sul entra no mapa da INTECH com obra de travessia




O alagoano José Antônio Muniz dos Santos é praticamente um viajante global. Depois de uma temporada profissional na Papua Nova Guiné, no ano passado, ele acaba de voltar da África do Sul. Nos dois casos, o profissional de campo da INTECH Engenharia viajou ao exterior para trabalhar em um projeto de perfuração direcional horizontal pelo método não-destrutivo (MND).
Diferentemente da primeira experiencia, ele não precisou fazer mais de uma escala e foi direto de São Paulo para o continente africano.

E lá ficou 72 dias, em mais uma parceria internacional HDI-INTECH. Seu companheiro de viagem foi Joelzito Sebastião da Silva, técnico de preparação de fluido de perfuração, também veterano na experiência da Papua Nova Guiné. Os mais de dois meses de vivência na África do Sul pesaram na bagagem do profissional. Depois dos exames de saúde rotineiros, Antônio, conhecido carinhosamente como Sedex (pela agilidade e iniciativa) e Joelzito enfrentaram a montagem dos equipamentos de campo. Essa operação consumiu cerca de 15 dias, a partir dos cerca de 32 contêineres que estocavam as máquinas e acessórios. O restante da temporada foi ocupado pela execução da obra: primeiro o furo piloto com 11 polegadas de diâmetro, seguido pelos alargadores de 22 e 32 polegadas e, finalmente, o alargamento principal para 36 polegadas.

O processo parece simples, mas na verdade envolve uma grande experiência de campo. "Foram dias de trabalho duro, com descanso somente no final de semana", explica Sedex. "Tínhamos dois ajudantes, menos experientes, por isso, acabá- vamos fazendo bastante coisa", detalha. O envolvimento na obra, aliás, começou imediatamente após a fase inicial de in- tegração. Ou seja, comprovada a saúde dos brasileiros e o treinamento sobre os procedimentos de segurança local, a montagem foi iniciada. O desafio maior, segundo os profissionais brasileiros, foi a comunicação com outros colaboradores, tanto da HDI como os locais. Como não falam inglês, os brasileiros usaram a linguagem universal dos gestos e tiveram o suporte do engenheiro Alexis Filliette, que já morou no Brasil, atuando na HDI em parceria com a INTECH e que fala por tuguês.

No final do processo, a comunicação gestual foi fundamental. Ao invés de levantar os braços e dizer não, como é corrente no Brasil, para interromper qualquer atividade, Sedex e Joelzito cruzavam os braços e diziam Stop, com calma, mas de forma assertiva. "Pronto, eles entendiam na hora", lembra Sedex. Ele e seu companheiro ficaram hospedados num hotel, próximo à obra. O jantar era preparado por eles, depois de uma passada no mercado local.

Leões é crocodilos

Culturalmente, a experiência também foi rica. Diferente da selva de Papua Nova Guiné, densa e fechada, os brasileiros vivenciaram um ambiente de savana, com o bônus de encontrar animais como antílopes e crocodilos em parte do trajeto. A distância foi mantida, com exceção de dois pequenos leões, criados por um fazendeiro local. "Tiramos foto, pegamos no colo. E depois o dono mostrou os pais para nós", conta Sedex. Cercados por uma tela, estavam um leão e duas leoas. Ao contrário da interação com os filhotes, os brasileiros ficaram longe dos felinos e correram à primeira apr ximação, apesar da cerca metálica que os separava dos animais. Mesmo com algumas dificuldades de linguagem e cultura e de alguns animais selvagens no caminho, Sedex voltou satisfeito com o trabalho e com a oportunidade. Empolgado, ainda emendou: "dependendo do chefe, já estou preparado para outra viagem. A mala está pronta no hotel", encerrou ao risos.

Voltar

ESCRITÓRIO SÃO PAULO

Av. Adolfo Pinheiro, 1010 - cj 52
CEP 04734 002 - São Paulo - SP - Brasil
TEL: 55 (11) 2129-2100
FAX: 55 (11) 2129-2121

ESCRITÓRIO RIO DE JANEIRO

Av. Rio Branco, 156 - cj 1007
CEP 20040-901 - Rio de Janeiro - RJ - Brasil

Intech Enegenharai Empresa Certificada
Copyright © Intech Engenharia - Todos os direitos reservados.